sombra de névoa, 1999 - 2000

vídeo instalação multicanal de Silvana Macêdo

sombra de névoa, vídeo instalação multicanal, Silvana propõe revisitar o passado. A personagem criança penetra num espaço que parece separar a vida e a morte, tentando compreender o grande abismo que se estabeleceu entre ela e sua mãe que já partiu. A fluidez da memória e dos espaços subconscientes são refletidos nas imagens subaquáticas que compõem os vídeos.

(…) Sombra de névoa tênue e esvaecida,

E que o destino amargo, triste e forte,

Impele brutalmente para a morte!

Alma de luto sempre incompreendida!...

Poema Eu, de Florbela Espanca

O vídeo sugere a transcendência temporal e material desta trama delicadamente tecida entre mãe e filho. Entre tantas relações em nossa condição humana, certamente para Silvana, este é um elo que perdura e que ela carrega como uma marca que a atravessa e molda.

texto de Juliana Crispe e Silvana Macêdo